esporte

definição de fair play

Comportamento amigável, fraterno e respeitoso nas competições esportivas

Fair play é um conceito amplamente utilizado no meio esportivo para se referir ao tipo de comportamento leal e sincero no esporte, principalmente a fraternidade e o respeito ao rival, ao árbitro e aos assistentes deste..

Também conhecido como Jogo Justo, como consequência da campanha muito importante levada a cabo neste sentido pela FIFA, o fair play passou a ser a principal preocupação da citada organização esportiva e de tantas outras, em decorrência do avanço e da repetição de condutas esportivas condenáveis, não só por parte dos jogadores, mas também por parte do público, árbitros, patrocinadores, anunciantes , dirigentes e treinadores, entre outros atores sociais que compõem o amplo espectro que o universo do futebol implica.

No esporte, os rivais sempre se enfrentam com o objetivo de derrotar o adversário, porém, isso não implica fazê-lo de forma alguma, ou seja, nem tudo dá para esse fim. É preciso tentar derrotar o rival respeitando as regras do jogo que está sendo contestado, nunca quebrando as regras. Trapaça, desrespeito, jogo sujo são atitudes absolutamente contrárias ao espírito de uma competição que se orgulha disso.

Recupere o prazer de jogar e entretenimento

A promoção do fair play tem como principal missão recuperar do esquecimento de alguns o prazer e a sensação que o jogo produz.. Infelizmente, nos últimos anos no mundo em que vivemos, tem crescido a ideia de que o mais importante é vencer sempre, custe o que custar, e não que o mais importante seja poder competir e interagir através do jogo e de esportes com outras pessoas e obter experiências agradáveis ​​com isso. A desclassificação sistemática contra quem não vence tem de alguma forma dominado o campo desportivo e, claro, tal situação tem levado à prática de comportamentos como trapaças, agressões físicas e verbais, entre outros, que certamente ameaçam o que propõe verdadeiros espírito esportivo.

O aumento da violência na sociedade também se transferiu para o futebol, que é justamente um dos esportes que mais fielmente reflete o ânimo popular, com todos os bons e maus que isso acarreta, é claro.

A famosa frase cunhada por atletas britânicos e franceses décadas atrás: o importante não é vencer, mas competir, deve ser a máxima que rege o esporte e o jogo, sejam quais forem as condições em que se dêem e também a condição que os primeiros. e os adolescentes aprendem que muitas vezes nessas fases da vida estão mais preocupados em vencer do que em competir.

A importância de ensinar às crianças que elas são importantes não é vencer, mas competir respeitando o rival

É justamente nesta última questão do ensino que os papéis que os pais, a família e a escola, principais agentes de socialização das crianças nos seus primeiros anos, desempenham são fundamentais, porque se um pai está constantemente a dizer ao filho que o importante é para vencer o jogo, independente da forma, como, então, a criança terá um comportamento de sair para vencer seja o que for, mesmo que isso lhe custe uma lesão ou qualquer outro problema com o rival.

Diferente será o pai que ensina ao filho que o mais importante é se divertir jogando e que se ganhar melhor, mas acima de tudo deve respeitar o rival.

Os dois lados da moeda nesta história irão, é claro, afetar diretamente a atitude de uma criança em relação ao jogo.

A atitude positiva que o jogador deve assumir

Os jogadores podem contribuir para o jogo limpo evitando simulações, mostrando que gostam do jogo, não discutindo as decisões do árbitro, mesmo quando erradas, não simulando faltas para punir o adversário, não recorrendo ao doping que lhes permite ganhar uma vantagem desportiva no jogo, e sobretudo manter um excelente tratamento com os seus adversários, não os insultando, não fazendo gestos obscenos, zombando deles quando os resultados não os acompanham, entre outros.

Do lado dos treinadores, sua contribuição deve ser evitar atos denegridos contra seus dirigentes e promover o respeito de seus jogadores pelos adversários.

E os demais atores que também participam direta ou indiretamente do esporte, como árbitros, torcedores, mídia, pais e parentes podem contribuir evitando mensagens que promovam rivalidades ou qualquer outro comportamento incompatível com o fair play.

Devemos dizer também que o conceito está tão arraigado na comunidade popular que costuma ser usado com a mesma conotação em outros contextos de vida que nada têm a ver com o esporte.