história

definição de estágio lítico

É designado pelo nome de Estágio Lítico a História mais antiga do que hoje é o México.

Também pode aparecer como um estágio pré-histórico do México.

Estágio pré-histórico do México

Devemos enfatizar que os primeiros grupos de seres humanos que povoaram esta área possuíam e compartilhavam características comuns que com o tempo se perderam porque alguns povos e culturas evoluíram de forma diferente.

O clima de cada região também desempenhou um papel fundamental nesse sentido.

Duração e períodos que o compõem

Será justamente nesse período que se estende desde o ano 30.000 a.C. a 2.500 a.C. que chegaram os colonizadores mais primitivos do atual território mexicano. Durante muito tempo, os grupos originais de caçadores e coletores nômades, aos poucos, foram evoluindo para formações sociais sedentárias que se dedicaram especialmente à agricultura nas áreas onde o solo o permitia.

Enquanto isso, era chamado de Estágio Lítico, como consequência do uso primário que foi dado à pedra, A maioria dos instrumentos daquela época eram feitos precisamente de pedra.

Embora tenha cuidado, a pedra não era o único material que esses homens usavam, certamente usavam muitos outros, embora, a pedra fosse o material que melhor resistia ao passar do tempo.

O estágio lítico é subdividido em quatro períodos principais

o arqueológico, que começou no ano 30.000 a.C. e terminou no ano 9.500 AC.

Durante este tempo, instrumentos começaram a ser usados ​​para realizar certas tarefas. Como não foram encontrados pontos de projétil, acredita-se que os avanços foram direcionados para a coleta e processamento de vegetais e animais. Dentre os sites representativos desse período, destacam-se os seguintes: Laguna Chapala na Baja California, San Luis Potosí, Tlapacoya, El Cedral e o Estado do México. Por se tratarem de sítios pequenos e comparados com o que se seguiu eram poucos, pode-se deduzir que a população era mínima, provavelmente de natureza familiar.

Por sua vez, o cenolítico inferior, o segundo período, que se estende de 9.500 a.C. a 7.000 a.C. se destacou devido às mudanças climáticas, que coincidiram justamente com o mudança do Pleistoceno para o Holoceno. Diante dessa situação, as práticas culturais e a forma de organização tiveram que ser reformuladas. Nesse período, notou-se um notável aprimoramento na técnica de confecção dos instrumentos, a ferramenta se especializou e diversificou-se, surgindo de um lado a ponta ranhurada e de outro a ponta em forma de lâmina.

A caça se torna o recurso por excelência para sobreviver.

Enquanto isso, o cenolítico superior, começa no ano 7.000 aC e termina em 5.000 aC. É neste período que os mastodontes e mamutes se extinguem, fato que motivou a busca por outras espécies de animais para caçar, indo para animais menores que os mencionados e para outra atividade como a coleta. Também foram desenvolvidas novas tecnologias aplicadas ao processamento de vegetais.

E finalmente, o protoneolítico, que começou no ano 5.000 a.C. e culminou em 2.500 AC. A principal novidade foi o surgimento da agricultura o que resultou em costumes de vida sedentária que vieram substituir os nômades. Os instrumentos que se produzem são totalmente dedicados ao processamento de vegetais, um dos mais destacados desta época é a argamassa.

A Argamassa é um utensílio de formato côncavo e serve para triturar no seu interior especiarias, sementes ou outras substâncias e alimentos.

Já mencionamos que o clima e a geografia dessa vasta região foram muito determinantes para marcar a diversidade dos povos que nela se instalaram.

Características do clima, solo, vegetação e fauna

Enquanto isso, poderíamos dividi-lo em diferentes áreas ...

Aridoamérica é a região que começa na América do Norte e faz fronteira com a Mesoamérica ao sul, a oeste com o oásis América, ao norte com as planícies e a leste com o Golfo do México.

Como o seu nome já antecipa, caracteriza-se por ser uma zona árida, que apresenta solos de origem vulcânica e a biodiversidade presente está intimamente relacionada com estas características.

Predominam falcões-peregrinos, ratos do campo, tatu, tartaruga do deserto, roadrunners, livres, veados, cobras, coiotes, entre outros exemplares.

Em relação à flora, destacam-se a mandioca ou também conhecida como palmeira do deserto, a huizache, o nopal, o peiote e diversos tipos de cactos.

Na região do oásis, o sedentarismo veio mais tarde do que na Mesoamérica. Seus habitantes caçavam e colhia, mas ao mesmo tempo plantavam milho, abóbora, feijão, tomate e domesticavam alguns animais. Eles usaram um sistema especial de semeadura, criaram canais para depositar e assim regular o uso da água.

Eles construíram centros urbanos e também desenvolveram artesanato.

E a Mesoamérica é sem dúvida a área de maior complexidade e variedade cultural e também a mais densamente povoada, ocupando todo o país e a América Central.

Ao contrário do que acontece com a zona norte, era mais propícia ao desenvolvimento da agricultura, a diversidade de solos e climas permitia que o fizesse.

Desde 2000 existem registros de grupos sedentários que se dedicavam à agricultura.

Aqui se desenvolveram grandes centros urbanos, edifícios impressionantes como pirâmides e plataformas com degraus, obras hidráulicas, comércio e jogos.