em geral

definição de bravura

Coragem é o termo usado para designar um tipo de atitude ou sentimento que uma pessoa pode ter em uma situação de possível perigo ou medo. Nada mais é do que a força que se encontra dentro de si para reagir de forma heróica ou intrépida diante de situações em que o medo, o perigo, o pânico estão presentes. Normalmente, o sentimento de coragem é aplicado a uma miríade de situações diferentes e o termo pode até ser usado figurativa ou metaforicamente para se referir a situações em que não há perigo real, mas nas quais a pessoa deve a si mesma. Ousando fazer algo (pois exemplo, faça um exame).

Coragem é, para alguns, agir com coragem e determinação, enquanto outros consideram a ausência do medo, e há quem entenda que é todo aquele comportamento em que o indivíduo sente medo mas não se deixa dominar pelo e faz o que considera necessário e justo.

Em todo caso, quando falamos de coragem, estamos lidando com algum tipo de comportamento externo. Nesse sentido, vale a pena lembrar a tese de Aristóteles sobre esta qualidade moral: nós nos tornamos bravos fazendo atos de bravura.

Atos de bravura

Para que uma ação seja considerada corajosa, um pré-requisito deve ser cumprido: que as consequências do ato sejam negativas. Se alguém critica abertamente seu chefe por fazer algo errado, ele está sendo corajoso, pois sua crítica provavelmente terá repercussões negativas. Em outras palavras, o ato de coragem está associado ao fator de risco.

Por outro lado, o ato de coragem deve ter um objetivo específico, como resolver um problema pessoal ou superar uma situação difícil.

Em cada ato de coragem, há ou deveria haver um certo cálculo das probabilidades de sucesso

Se não sei nadar e me joguei na água para resgatar alguém, não sou uma pessoa corajosa, mas uma pessoa ousada que age irracionalmente, porque com a minha ação não vou ajudar quem está em perigo e eu também vou acabar me afogando.

O ato de bravura pode ser explicado a partir da teoria do termo médio de Aristóteles. Assim, entre a covardia e a imprudência, está o ponto de equilíbrio da coragem.

Supõe uma sensação ou atitude que só os seres humanos podem ter, pois supõe uma certa racionalidade sobre as situações em que um animal agiria normalmente por impulso ou instinto. Assim, a coragem é entendida como uma força de vontade interna, também a decisão de fazer algo para o bem próprio ou dos outros em situações em que pode se machucar ou até mesmo perder a vida. Muitas vezes, a coragem é a fase em que a pessoa consegue lidar com aquele medo que a situação gera, superando-o e realizando ações diversas, aconteça o que acontecer.

Arquétipos de bravo

No cinema e na literatura, os heróis são os arquétipos tradicionais relacionados a essa qualidade. Figuras históricas como o Cid Campeador, Juana de Arco, Gerónimo ou Cuauhtémoc são exemplos de coragem, coragem e intrepidez. Na maioria das circunstâncias, o bravo se torna um perdedor que sacrifica sua vida e a história se lembra dele como um verdadeiro herói (por exemplo, muitos mártires cristãos sacrificaram suas vidas por suas convicções, mas a igreja os lembra como modelos).

A coragem nem sempre tem que estar relacionada com figuras históricas, porque às vezes as pessoas humildes agem como verdadeiros heróis. Um caso paradigmático é o de Rosa Parks, uma modesta afro-americana dos Estados Unidos que em 1955 se recusou a ceder seu assento no ônibus a um homem branco; uma ação contrária às leis e pela qual ela foi presa.

Supõe um sentimento nobre, um dos mais puros do ser humano, porque implica arriscar o próprio bem por uma finalidade específica que pode ou não ser para si mesmo, mas que em última instância sempre representaria um risco possível. Em muitas ocasiões, coragem significa ter que tolerar algum tipo de dor ou sofrimento, enfrentá-lo e tentar obter os melhores resultados possíveis naquela situação específica. Nesse sentido, empregos ou ocupações em que as pessoas resgatam outras pessoas (homens ou animais) que estão feridos ou em risco envolvem sempre ter coragem, pois situações de risco também podem virar-se contra si mesmo.