em geral

definição de legado

O termo legado vem do latim legatus em que se faz referência à ideia de delegar, de passar de uma pessoa a outra um bem, uma função, uma capacidade, etc.

Delegado, deixa uma pessoa em favor de outra um bem material, uma posição, uma habilidade, um valor moral ...

Na linguagem comum, a palavra legado é usada para designar tudo o que uma pessoa, uma organização, uma instituição pode receber como um presente daqueles que o foram e que constituem seus antecessores.

O legado pode ou não ser visível, dependendo de cada caso.

Por exemplo, um legado visível seria uma joia que uma pessoa deixa aos seus sucessores por conter essa grande importância e valor sentimental.

Mas também pode ser um legado, por exemplo, o valor da honestidade que um pai deixa ao filho, ou que um grupo de pessoas transmite a outras quando este passa a ocupar seu lugar na mesma instituição.

Assim, o legado é concebido como uma ideia de transmissão de valores, bens ou elementos considerados importantes para um ou outro dos que compõem a cadeia de transferência.

A obra de um autor ou artista que sobrevive e persiste no tempo

No campo artístico, esse conceito é amplamente utilizado para se referir à obra que um autor, pintor, ator, diretor, entre outros, colheu ao longo de sua vida profissional, e que sobrevive após sua morte, e obviamente continuará a influenciar significativamente as gerações para vir e o público que o seguiu.

Até mesmo o legado permite que pessoas não contemporâneas ao artista em questão conheçam seu trabalho e, claro, também o admirem, aprendam com ele ou o tomem como fonte de inspiração.

Quando falamos em legado, estamos falando mais do que qualquer coisa sobre questões que têm a ver com o social e cultural, não tanto com o biológico, ao qual nos referimos principalmente usando a palavra "herança".

O legado é geralmente composto, como mencionado anteriormente, por elementos materiais ou por questões simbólicas como valores, tradições, modos de agir, modos de pensar, etc.

Uma impressão forte que marca o futuro e a história de uma nação ou comunidade

A importância do legado que se recebe é que sempre marcará sua identidade no futuro.

Assim, o legado que alguém recebe de seus antecessores estará dizendo muito mais àquela pessoa do que a qualquer outra pessoa, porque provavelmente está ligado à sua identidade, sua história familiar, seus costumes e seus modos de viver a realidade.

As nações também estão construindo sua história a partir do legado que receberam no devido tempo; Cada cidade tem um legado cultural e histórico próprio que se transmite de geração em geração e nada tem a ver com questões materiais, longe disso.

As culturas grega e romana, sem dúvida, são o legado mais relevante sobre o qual o mundo ocidental foi construído.

Por outro lado, também podemos dizer que o legado pode ser entendido no sentido jurídico quando, no campo do direito, é necessário determinar quem recebe o quê quando uma pessoa morre e proceder à sucessão.

Bens ou bens que uma pessoa dá a outra por meio de um testamento antes de sua morte

Nesse caso, o juiz atua como mediador para organizar a transferência e garantir que ela seja realizada da forma desejada pelo falecido.

Por outro lado, o legado será o conjunto de disposições que a pessoa deixa por escrito antes de morrer para que sejam efetivamente cumpridas ao morrer, geralmente inerentes aos seus bens materiais, ou seja, a quem será deixada.

Esse ato é formalizado por meio de documento popularmente conhecido como testamento e rubricado por tabelião público, sendo o seu destinatário denominado legatário.

Ora, o legatário não é o herdeiro, este receberá os bens do falecido, enquanto o legatário terá os bens estipulados no testamento elaborado oportunamente e poderá também recebê-los após a morte de seu dono.

Representante político no exterior e na religião o do Papa perante o qual corresponde

E, por outro lado, o conceito de legado é utilizado na política e na religião, para designar o representante que um governo tem perante outra nação, e o enviado do Papa para representá-lo na discussão de um assunto, respectivamente.

O uso na política remonta aos tempos do Império Romano, onde generais com patente senatorial e embaixadores que lidavam com as relações exteriores do império eram assim chamados.