comunicação

definição de dramatização

O termo dramatização é aquele que designa algum tipo de representação ou atuação em que se realiza uma atuação de determinadas e específicas situações. A palavra vem de outro substantivo: drama, que é justamente a forma de representar a obra literária por meio do diálogo e da oralidade. O termo drama vem do grego (civilização que criou o teatro como elemento artístico), língua em que significa "ação". Portanto, o drama ou a dramatização de algo é realizar uma ação, agir de uma determinada maneira ou forma.

Ou seja, na dramatização é representado um drama que consiste em uma história que costuma tratar de algum tema triste que envolve diferentes personagens que são interpretados por atores, geralmente em um palco de teatro, mas o gênero também se tornou muito popular no cinema e na TV.

Em geral, quando se fala em dramatização, faz-se referência à representação da atuação em mídias como teatro, cinema ou televisão. Nesses espaços, os atores criam personagens a partir de um roteiro que lhes diz o que dizer, como se mover, como agir e como mostrar ao público certas sensações, ideias, pensamentos e situações gerais. Enquanto isso, há um profissional, o diretor, que ficará encarregado de dirigir toda a encenação e a performance.

A importância da habilidade dramática do ator

Nesses tipos de representações, a habilidade dramática dos atores que representam dramas é extremamente importante porque, caso contrário, será muito difícil mover ou transmitir o conteúdo dramático da história se eles não forem profissionais experientes na área. Um bom ator deve saber se apresentar em cada um dos gêneros que deve representar em sua carreira. Agora, em torno da dramatização há um grande respeito e então em nome disso muitas vezes é atribuída uma pressão adicional ao ator que tem que interpretar uma dramatização, ou seja, é mais exigente quando se trata desse gênero. Por exemplo, quando atores intimamente associados à comédia se destacam em um drama, eles geralmente surpreendem a todos.

Origens gregas

As primeiras formas de dramatização ocorreram na Grécia Antiga, sociedade em que o teatro tinha grande importância não só como forma artística, mas também como espaço de debate e representação dos diversos fenômenos que aconteciam no cotidiano (como hoje a televisão. notícia). Na época, a dramatização era uma forma de educar o público sobre diversos temas como filosóficos, morais, culturais, entre outros.

A dramatização teatral teve duas formas básicas, bastante diferentes uma da outra: de um lado, a tragédia e, de outro, a comédia. Embora existam variações e pontos intermediários entre elas, a tragédia e a comédia representam as duas formas básicas do teatro (daí o símbolo típico das duas máscaras opostas, uma alegre e outra triste).

Enquanto a tragédia geralmente representa situações de crise que afetam as profundezas do ser humano, a comédia busca representar situações do cotidiano mostrando seus personagens como seres comuns, possuidores de virtudes e defeitos.

A dramatização, entretanto, não deve ser entendida como uma ação puramente teatral ou artística. Em muitos momentos, qualquer pessoa comum pode realizar uma dramatização de situações vividas com o objetivo de contar ao seu público circunstancial como viveram aquela situação, o que foi dito, o que aconteceu, etc.

Por exemplo, o conceito também é usado para designar o exagero que alguém faz de algo, atribuindo-o a características muito dramáticas.

Uso em terapia

Devemos ressaltar também que a dramatização é um procedimento que se impõe a mando da psicologia como alternativa terapêutica para que os pacientes possam superar certas patologias. Nesse processo, uma ou mais pessoas discutem uma questão comum ou um problema que as une e se abre a respeito. É muito utilizada porque é uma prática que muito ajuda a expressar a interioridade das pessoas e na desinibição.