em geral

definição de raciocínio

É a capacidade de pensar que todos os seres humanos possuem e essa é, sem dúvida, a característica que os distingue do resto das espécies vivas.. O desenvolvimento da razão nada mais é que a possibilidade de pensar e nesse ato reconhecer-se como ser pensante, imaginando, sonhando, projetando, calculando, etc. Em suma, separar-se do mero sentimento ou das simples sensações e instintos e elevar-se a algo superior, que nos torna humanos.

A capacidade de raciocinar: o que nos tornou o que somos

É claro que sem a capacidade de pensar e raciocinar não seríamos o que somos. Como seres vivos, temos todas as mesmas características, traços e capacidades dos demais seres vivos. Precisamos nos alimentar, dormir, reproduzir. Esses são os elementos naturais e as funções básicas do nosso corpo que devem ser satisfeitas. Mas em algum momento da história, no processo de hominização, os primatas conseguiram desenvolver um pensamento superior ao dos demais animais e puderam, por meio de diferentes espécies, chegar ao que nós, seres humanos, somos hoje.

A possibilidade de pensar e o uso da razão é o que nos distingue de todos os outros seres vivos. Esta capacidade permite-nos compreender-nos como sujeitos separados dos restantes, dá-nos um leque de possibilidades muito mais amplo do que as sensações e instintos corporais e permite-nos reflectir sobre a nossa existência. A razão, ao mesmo tempo, dá-nos a possibilidade de lembrar, de criar linguagens sistemáticas, de imaginar, de sonhar, de pensar no passado e no futuro, permite-nos criar a nossa identidade.

Biologia, educação, meio ambiente e predisposição pessoal, chaves no desenvolvimento do raciocínio

O raciocínio tem um componente biológico evidenciado na estrutura cerebral dos seres humanos; as relações sinápticas entre os neurônios são o que permitem as operações infinitas do intelecto.

Para atingir o objetivo acima mencionado, ou seja, sua missão, a razão utilizará uma série de princípios que por sua natureza as pessoas assumem como universalmente verdadeiros, são eles: princípio de identidade (mostra que um conceito é aquele conceito), princípio da não contradição (propõe que um conceito não pode ser e não ser ao mesmo tempo) e terceiro princípio excluído (Suponha que entre ser e não ser de um conceito, uma situação intermediária não seja aceita.

Existem dois tipos principais de raciocínio, o dedutivo, por um lado, que ele considera que a conclusão está implícita nas premissas e nas indutivo que obtém conclusões gerais de algo particular.

Agora, para que a razão se desenvolva e aja corretamente, ela deve ser exercida por meio do uso constante da razão. A educação a que o ser humano tem acesso desde criança nos ajudará nesse sentido porque as várias disciplinas que cursamos nos permitirão exercitar a memória, a compreensão, a criatividade, entre outras faculdades da nossa razão.

E outra questão que também afeta o desenvolvimento do raciocínio é o contexto em que vivemos e crescemos. Se uma pessoa cresce em um ambiente desprovido de possibilidades em todos os aspectos, certamente não será capaz de desenvolver, como outros pares que o fazem, do mesmo modo o raciocínio.

Então, a biologia de cada um, a escolaridade e as condições familiares serão fatores que afetam diretamente o correto desenvolvimento e funcionamento do raciocínio.

Doenças mentais degenerativas, os grandes inimigos da mente

O principal problema que o raciocínio enfrenta, e que pode não ter solução de acordo com a gravidade dos casos, são as doenças mentais ou degenerativas que afetam diretamente o funcionamento do cérebro.

A doença de Alzheimer é uma das mais contundentes nesse aspecto, pois afeta a memória, o modo de pensar, o comportamento, a percepção, entre outros. Quem sofre desta doença sofrerá a perda de sua memória e do resto de suas habilidades intelectuais.

São vários os fatores predisponentes para o padecimento desta doença como a idade avançada, embora devamos dizer também que pode ocorrer em pessoas que ainda não têm tanta idade; parentes diretos que a sofreram: irmãos ou pais; e alguns genes.

O quadro pode ser diagnosticado por um médico após ter submetido o paciente a: um exame neurológico, ao reconhecimento dos sintomas, à revisão da sua história clínica e à realização de alguns testes ao seu funcionamento mental.

A razão é tudo o que sabemos e acreditamos

O ser humano é o único ser vivo que pode criar coisas, desde objetos simples e inanimados até conceitos e ideias abstratos como a religião, o passado, a filosofia. Todas essas ações são possíveis a partir do uso da razão, aquela capacidade que é uma mistura de elementos físicos e químicos que ocorrem em nosso cérebro, mas também de aspectos emocionais e mentais que não podem ser compreendidos apenas do ponto de vista científico.

A possibilidade de pensar, de refletir, de criar o mundo que nos rodeia é algo único. Muito do nosso cotidiano foi criado pelo ser humano a partir de seu raciocínio, incluindo a maneira como interagimos com a natureza e conseguimos controlá-la quando ela pode se tornar imprevisível ou perigosa. As culturas do mundo, os objetos que usamos, as religiões em que acreditamos, sensações complexas como o amor são todas consequências da razão e da capacidade de nos elevarmos acima do mero organismo físico que nos é dado.