comunicação

definição de leitura

A leitura É uma atividade absolutamente humana, o que nos permite, graças à sua realização e implementação, por exemplo e entre outras coisas, interpretar uma poesia, uma história, um romance, que em termos estritamente literários, mas também à leitura devemos a possibilidade de interpretar sinais, movimentos corporais, dar ou receber ensinamentos.

Obviamente e por causa deste último que eu estava falando sobre o ensino, a leitura está intimamente ligada ao processo de aprendizagem e, claro, será elementar levá-lo a bom termo. Segundo a linguística e a psicologia cognitiva, duas das disciplinas responsáveis ​​pelo estudo de como os seres humanos percebem e entendem a escrita, o homem percebe o ambiente pela visão com fixações e sacadas. Ao fixar o olhar, ele o fixa em um objeto ou ponto imóvel e as sacadas lhe permitirão redirecionar o olhar de um ponto de fixação para outro. Assim, o olho humano faz o mesmo quando lê um texto, receita, diário ou livro.

Em condições normais, uma pessoa pode ler até 250 palavras por minutoEnquanto isso, quando se depara com um texto ambíguo ou com alguma parte não totalmente compreendida, o ser humano se vale de regressões, que se fazem na direção oposta da esquerda para a direita, geralmente utilizada para a leitura.

Por ser a leitura tão importante e decisiva no processo de aprendizagem, tem-se estudado profundamente como aprimorar suas técnicas, o que visará atender a duas questões inerentes ao seu desempenho efetivo, que será atingir a velocidade máxima mas sem renunciar ao entendimento de o que está sendo lido.

É por isso que a leitura sequencial, intensiva e pontual é proposta.. Sequencial é a forma mais comum de ler um texto, a velocidade será aquela que o leitor está acostumado a colocar em prática e não haverá omissões ou repetições. No intensivo, a ênfase será colocada na compreensão do texto na íntegra e nas intenções do autor, ou seja, será analisado o que ele diz e como ele diz.

E o pontual é aquele por meio do qual o leitor só vai ler o que lhe interessa, por exemplo, a partir de uma extensa nota de pesquisa que aparece publicada no jornal dominical, ele só vai ler a coluna que escreveu o colunista com quem ele concorda em avaliações regularmente e pulará o resto do texto que o acompanha.