comunicação

definição de anedota

Uma anedota é um conto de um evento curioso ou engraçado.

Geralmente a anedota é baseada em eventos reais que acontecem em lugares reais e que envolvem pessoas que realmente existem. "As anedotas que minha tia conta sobre sua juventude são realmente incríveis e extremamente engraçadas. Uma rodada ele nos disse que há vários anos, quando um amigo se casou e ela foi sua testemunha, ela teve que segurar o namorado que desmaiou quando ele estava prestes a dizer sim, eu amo. "

Caracteristicas

A anedota sempre conta acontecimentos que despertam interesse ou chamam a atenção por sua singularidade, e quase sempre é o protagonista que os narra depois de vivê-los. Embora o humor seja o protagonista das anedotas, como é claro que as engraçadas são as que mais se ouvem e gostam, também podem abordar acontecimentos trágicos ou de terror.

A missão da anedota é a transmissão de um acontecimento vivido e cabe a quem o narra saber contribuir com uma partilha especial da realidade e da emoção para despertar empatia nos outros, em quem a ouve.

Deve-se notar que embora qualquer pessoa possa estrelar e contar anedotas, há indivíduos que têm uma disposição especial para fazê-lo, como no caso das piadas e do humor, sabem contá-las de uma forma tão divertida que sabem capturar uma melhor empatia, por exemplo, do que aqueles que não apresentam essa inclinação natural.

Agora, para fazer de uma anedota um acontecimento singular, é necessário seguir uma série de parâmetros ou artifícios que auxiliem naquele impacto que muitas vezes se busca ao transmitir um ...

Por exemplo, gerar suspense é uma excelente alternativa, pois claro que, quando o gancho é gerado no espectador, os acontecimentos são antecipados aos poucos, poderemos prendê-lo aos poucos e cada vez mais na história, e assim ele vai ficar ouvindo até a final.

Também é muito importante manter uma ordem coerente ao recontar a anedota, pois isso aumenta não apenas a atenção, mas também a compreensão.

A estrutura da anedota é semelhante à de qualquer outra história: introdução, meio e fim. Na introdução, os eventos ocorridos serão introduzidos rapidamente, no nó é apresentado o conflito central que se move e representa a tensão da história e finalmente no desfecho será contado como o conflito ou questão foi resolvido, ou o que acabou acontecendo para a final.

De qualquer forma, é possível que essa anedota que surgiu de acontecimentos reais, pessoas e lugares, com o passar do tempo e do boca a boca, sofra algumas modificações que acabam por exagerar o ocorrido.

Formulários

Embora na maioria das vezes as anedotas tenham muito humor per se, não são brincadeiras, ou seja, têm a missão de divertir, de despertar o riso de quem as recebe, porém, têm outras motivações como: expressar uma realidade geral, para mostrar o traço particular de uma pessoa e o funcionamento de uma determinada instituição.

Por outro lado, a anedota costuma ser usada para representar graficamente ou explicar uma situação a alguém, pois dessa forma mais agradável acredita-se que ela a compreenderá e assimilará melhor.

Pelo exposto, é dito que a anedota está mais próxima da parábola do que da fábula (composição em verso da qual se extrai um ensinamento útil ou moral).

Lembremos que a parábola é uma forma literária que implica uma história figurativa, que, por analogia ou semelhança, resulta em um ensino relacionado a um tema não explícito, ou seja, é uma história carregada de simbolismo; os evangelhos cristãos têm muitas parábolas.

Fato sem importância

E o outro uso do termo permite designar o evento irrelevante e sem importância. “O fato de Juan não ter vindo para a aula hoje é uma anedota porque ele nunca está faltando.”